Estudo de escória dry-pit como material cimentício

Resumo: As indústrias siderúrgicas geram milhões de toneladas de escórias como subproduto durante suas etapas de produção. Essas escórias são classificadas de acordo com sua procedência e forma de resfriamento (por ar, água, água e pressão). Grande parte da escória gerada durante a fabricação de ferro gusa é resfriada bruscamente para ser utilizada como aglomerante pela indústria cimenteira. A escória que não é destinada para esse fim, costuma ser resfriada lentamente, para reduzir custos do processo, e é denominada de escória dry-pit. Tradicionalmente, esse material tem pouca ou nenhuma propriedade de cimentação e é utilizado somente como agregado artificial em concretos. No entanto, sabe-se que mesmo materiais inertes misturados com cimento podem ter um efeito significativo na hidratação das fases do clínquer. Além disso, esses materiais podem apresentar reação de uma camada superficial amorfizada formada durante a moagem. Desta forma, esse trabalho visa estudar a incorporação de escória dry-pit moída em sistemas cimentícios, a fim de verificar sua interação na cinética de hidratação do cimento e seu desempenho em artefatos de concreto produzidos.

Data de início: 2019-08-01
Prazo (meses): 36

Participantes:

Papelordem decrescente Nome
Coordenador Rudiele Aparecida Schankoski
Vice-Coordenador Ronaldo Pilar
Transparência Pública
Acesso à informação

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910