CONCRETO REFORÇADO COM FIBRAS POLIMÉRICAS SUBMETIDO A TEMPERATURAS ELEVADAS

Resumo: Grandes incêndios já comprometeram severamente diversas estruturas no decorrer da história. Por isso que a segurança estrutural contra incêndios é uma das considerações mais importantes que devem ser aplicadas nas construções. O comportamento do concreto sob ação de agentes agressivos já há muito tempo é tema de estudos nos campos de tecnologia e durabilidade dos concretos.
Elevações de temperaturas em incêndios podem causar sérios danos nas propriedades mecânicas do concreto e até mesmo efeitos prejudiciais em nível estrutural.
Concreto reforçado com fibras é um compósito, cuja matriz é cerâmica e o elemento de reforço tem origem polimérica. A adição de fibras em concreto vem se tornando popular, principalmente pelo aumento da tenacidade, resistência à fissuração e retração plástica.
As fibras conferem ao concreto melhor comportamento pós fissuração, previnem e controlam a formação e propagação de fissuras, o que evita o fenômeno de lascamento explosivo. Em um incêndio as fibras no interior no concreto derretem a uma certa temperatura, o que auxilia na liberação de vapor d’agua pelos poros (PLIYA et al., 2011). A porosidade adicional e os pequenos canais criados pela fusão das fibras de polipropileno podem diminuir a pressão interna de vapor no concreto e reduzir a probabilidade do spalling, principalmente em concretos de alta resistência.
Estudos mostram que fibras de polipropileno (PP) são efetivas na mitigação do desplacamento (spalling) em concretos expostos a altas temperaturas.
Trabalhos com adição de fibras de nylon também estão sendo realizados (mesmo que em menor número) e apresentaram melhores resultados do que as de polipropileno. Comparando com as anteriores, existem poucas referências que abordam a adição de fibras de aramida em concretos expostos a temperaturas elevadas, sendo uma lacuna que pode ser preenchida e melhor estudada.
Não foi encontrado trabalhos que abordem reutilização de fibras de alto desempenho extraídas de materiais de salvamento que são descartados devido ao uso prolongado.
Assim, em virtude das lacunas existentes e da importância do tema, esse trabalho visa colaborar com um maior entendimento do comportamento do concreto reforçado com fibras quando exposto a altas temperaturas.

Data de início: 2017-03-01
Prazo (meses): 36

Participantes:

Papelordem decrescente Nome
Coordenador João Luiz Calmon Nogueira da Gama
Transparência Pública
Acesso à informação

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910