ANÁLISE DE VARIÁVEIS DIRECIONADORAS DE MELHORES PRÁTICAS EM OPERAÇÕES LOGÍSTICAS

Nome: Marcos Antonio Nunes da Silveira
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 14/08/2015
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Patricia Alcantara Cardoso Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Lidia Angulo Meza Examinador Externo
Marta Monteiro da Costa Cruz Examinador Interno
Patricia Alcantara Cardoso Orientador
Teresa Cristina Janes Carneiro Examinador Externo

Resumo: Resumo da dissertação: A busca pela identificação de melhores práticas é um desafio constante para qualquer atividade produtiva desenvolvida, seja esta voltada para produção de bens tangíveis ou intangíveis, nesse caso de serviços. Envolvido nesse contexto encontra-se as operações logísticas, compreendendo o processamento de pedidos, gestão de estoque, expedição, transporte e controle do fluxo de informações e recursos aplicados. Foram avaliados os operadores logísticos que atuam no mercado nacional levando-se em consideração aspectos referentes a melhores práticas e variáveis que sejam direcionadoras dessas práticas. O referencial teórico aborda a caracterização de empresas prestadoras de serviços logísticos e critérios para a seleção de operadores logísticos. A identificação de sistemas de medição de desempenho foi abordada, assim como a avaliação de indicadores e conceitos de benchmarking em operações logísticas e modelos de referência. Utilizou-se como base as informações divulgadas na revista tecnologística nº 223 de junho de 2014, que apresenta dados referentes a operadores logísticos que atuam no Brasil. Após a avaliação dos constructos teóricos e tratamento dos dados, foi aplicada a técnica de análise envoltória de dados para identificação de empresas (operadores logísticos) que reúnam informações suficientes para serem consideradas como benchmark. O ranking de eficiência apresentado pelo modelo DEA foi avaliado e as seguintes variáveis foram identificadas como direcionadores de melhores práticas: número de contratos vigentes, número de funcionários, tempo de mercado e área disponível para armazenagem, sendo identificados como INPUTs do processo. O volume de produtos movimentados e a receita líquida foram identificadas como OUTPUTs. Essas variáveis foram organizadas em uma razão entre OUTPUT e INPUTs, que permitiu a avaliação satisfatória entre as empresas avaliadas.

Acesso ao documento

Transparência Pública
Acesso à informação

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910