Proposta de sistema construtivo em compósito termoplástico para ilhas oceânicas

Nome: Bernardo Zandomenico Dias
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 21/12/2015
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Cristina Engel de Alvarez Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Cristina Engel de Alvarez Orientador
Geilma Lima Vieira Examinador Interno
Paulo Sergio de Paula Vargas Examinador Externo

Resumo: A necessidade de manutenções constantes em edificações localizadas em ilhas oceânicas eleva consideravelmente os custos globais da construção, devido ao valor dos próprios materiais utilizados nos processos de manutenção e ao longo trajeto que realizam na etapa de transporte, já que frequentemente vêm do continente. Apesar de geralmente possuir custo de aquisição maior que o da própria madeira material de uso consagrado em edificações projetadas para as ilhas oceânicas brasileiras , por ser pré-fabricado e apresentar alta durabilidade e baixa manutenibilidade, mesmo quando expostos às intempéries, os compósitos termoplásticos conhecidos como madeira plástica, sob uma avaliação inicial, são uma alternativa eficiente para esse tipo de edificação. Assim, esta pesquisa teve como objetivo propor um sistema construtivo constituído por vedações autoportantes compostas primordialmente por madeira plástica, passíveis de serem aplicadas em estações científicas projetadas para ilhas oceânicas. Para o desenvolvimento do sistema construtivo foram realizados, em protótipos do sistema idealizado, ensaios mecânicos de resistência ao impacto de corpo duro, ao impacto de corpo mole e à compressão. Por sua vez, os protótipos foram construídos a partir de projeto específico, incluindo detalhamento. Os procedimentos metodológicos passaram pela revisão de literatura com especial ênfase para os assuntos relacionados aos compósitos termoplásticos, ilhas oceânicas, normas técnicas e sistemas construtivos. A fim de validar o sistema proposto como adequado às solicitações citadas, os dados dos ensaios mecânicos foram comparados às exigências previstas nas NBR 15575-2 e NBR 15575-4. Os resultados dos ensaios foram suficientes para que o sistema construtivo se enquadrasse no nível Intermediário em relação ao ensaio de resistência ao impacto de corpo duro, mas não alcançasse o nível Mínimo no de corpo mole devido ao não cumprimento de apenas um requisito. Quanto ao esforço de compressão, cada painel deve ser calculado para suportar uma carga máxima de 836,275kg. Por fim, mesmo não alcançando o nível Mínimo num dos ensaios, acredita-se que o sistema desenvolvido apresenta potencial para utilização em estações científicas em ilhas oceânicas, ou mesmo para edificações térreas em áreas isoladas e sob forte ação das intempéries. Além disso, com a realização de algumas modificações que melhorem o desempenho do sistema no ensaio de resistência ao impacto de corpo mole, pode-se cogitar a possibilidade de emprega-lo na construção de edificações com dois pavimentos.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910