Estabilização de Solos Com Coproduto de Coqueria Fgd e Cimento Portland para Uso em Camadas de Pavimentação.

Nome: Hully Carvalho Picoli
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 17/07/2020
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Patrício José Moreira Pires Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Guilherme José Cunha Gomes Examinador Externo
Jamilla Emi Sudo Lutif Teixeira Coorientador
Patrício José Moreira Pires Orientador
Rodrigo de Alvarenga Rosa Examinador Interno
Ronaldo Pilar Examinador Interno

Resumo: Coprodutos industriais estão sendo vastamente utilizados como forma alternativa de estabilizantes de solos, possibilitando a inserção dos resíduos como insumo na construção civil, diminuindo o uso de recursos naturais, e a queda do descarte desses materiais. O processo de dessulfurização de gases de combustão (Flue Gas Dessulfurization - FGD) da queima do carvão para controle da emissão de SO2 nas termelétricas e nas siderúrgicas gera um resíduo, denominado aqui de pó FGD, que possui algumas características físicas e químicas similares aos aditivos utilizados na construção civil, inclusive para a estabilização de solos. Este trabalho avalia o efeito da incorporação do pó FGD e do cimento Portland ao solo, com o objetivo de avaliar o desempenho do coproduto em conjunto com o cimento e individualmente, para estabilização de um solo laterítico areno-argiloso bem graduado para fins de pavimentação, a fim de minimizar o uso desse aditivo convencional e promover o aproveitamento do pó FGD. Diferentes teores de pó FGD e de cimento foram adicionados ao solo natural não modificado, resultando em misturas solo/cimento/FGD, solo/cimento e solo/FGD. Foram feitos ensaios de caracterização física, química e mineralógica dos materiais individualmente e das misturas, além da caracterização mecânica das misturas. A partir dos resultados, nota-se que a adição do pó FGD e do cimento não causou alterações expressivas nas características físicas do solo, destacando apenas a diminuição da plasticidade. Nos parâmetros mecânicos, a incorporação do pó FGD conferiu aumento expressivo do ISC, tanto em conjunto com o cimento, quanto individualmente. Já os valores de expansão, resultantes do uso do pó FGD, tornam seu uso limitado. Todavia, o uso combinado do pó FGD e cimento possibilitam a redução nos valores de expansão. Portanto, verifica-se a viabilidade técnica de uso do pó FGD na estabilização de solos, tornando possível seu uso como um aditivo sustentável e tecnicamente viável para melhoramento de solos.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910