Análise Numérica de Incêndio em Ambiente Compartimentado Horizontalmente

Nome: Fábio Maurício Rodrigues Pereira
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 07/06/2020
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Macksuel Soares de Azevedo Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Cristina Engel de Alvarez Examinador Interno
George Cajaty Barbosa Braga Examinador Externo
Macksuel Soares de Azevedo Orientador

Resumo: Não existe no Brasil norma da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) que trata da compartimentação como ferramenta de segurança contra incêndio. Os estados da federação, entretanto, editam normas ou instruções técnicas que, uma vez publicadas, tem validade na unidade federativa de origem. São normas prescritivas que muitas vezes não foram testadas e verificadas no que diz respeito a sua eficácia em evitar a propagação do incêndio. Além disso, as regras prescritivas de compartimentação horizontal não são consideradas por códigos de ocupação do solo editados por municípios o que, especialmente em polos comerciais, permite a distribuição com afastamento nulo entre edificações vizinhas. Por outro lado, os ambientes de incêndio são complexos e imprevisíveis. Normalmente, são geridos por uma grande quantidade de variáveis e condições de contorno. O ensaio experimental é dispendioso, inseguro e de difícil controle e padronização. Por esse motivo, as ferramentas de dinâmica computacional dos fluidos (CFD) surgem como uma solução viável, segura e econômica para simulação numérica de incêndio. O programa computacional Fire Dynamics Simulator (FDS) possui a propriedade de reproduzir os incêndios com uma aproximação muito grande dos resultados de ensaios laboratoriais. Sendo assim, esta pesquisa realizou simulações numéricas computacionais com o uso de ferramenta CFD, denominada Fire Dynamics Simulator, em ambientes de incêndios. Foi verificado que as regras de afastamentos entre edificações na norma em vigor não impedem a propagação horizontal do incêndio no caso de edificações distintas e confrontes e; é provável, mas não certo, que haja propagação de incêndio entre unidades autônomas vizinhas para o caso de aberturas adjacentes em um mesmo plano. Foi verificado que os afastamentos laterais inferiores ao previsto em norma de lojas em polos comerciais não impedem a propagação horizontal de incêndio entre unidades autônomas vizinhas. As normas de propagação horizontal de incêndio precisam ser reformuladas para se tornarem mais eficientes e eficazes na segurança contra incêndio.

Acesso ao documento

Transparência Pública
Acesso à informação

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910