MEDIDAS de Retrofit em Edifícios Existentes Típicos de um Bairro: Desempenho e Análise do Ciclo de Vida Energético

Nome: Thaís Gonçalves Sartori
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 28/05/2018
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
João Luiz Calmon Nogueira da Gama Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Cristina Engel de Alvarez Examinador Interno
João Luiz Calmon Nogueira da Gama Orientador
Marcia Bissoli Dalvi Examinador Externo

Resumo: Muitos dos impactos ambientais provenientes da indústria da construção civil estão relacionados com o consumo de energia. As edificações consomem um percentual significativo do total de energia elétrica gerado no Brasil, sobretudo o setor residencial. Uma das formas de reduzir os impactos das edificações é aumentar a sua eficiência energética, seja por meio da adoção de equipamentos mais eficientes ou através da adoção de técnicas e materiais mais compatíveis com as características climáticas. Um dos objetivos do retrofit é aumentar a eficiência operacional e energética da edificação existente através da incorporação de novas tecnologias e conceitos. Entretanto, as medidas de retrofit devem ser avaliadas no âmbito do ciclo de vida do edifício, de forma a avaliar a sua efetiva contribuição na redução dos impactos ambientais. O objetivo da pesquisa é avaliar a influência de medidas de retrofit em edifícios existentes típicos de um bairro, tanto no desempenho da envoltória segundo o Programa Brasileiro de Etiquetagem em Edificações, quanto no ciclo de vida energético das edificações. Utilizou-se como estudo de caso 5 edifícios residenciais típicos existentes do bairro de Jardim Camburi, localizados em Vitória, no Espírito Santo. Para a análise do desempenho da envoltória, utilizou-se o método por simulação, através do software EnergyPlus. A Avaliação do Ciclo de Vida Energético dos edifícios foi dividida em energia incorporada e energia operacional, onde foram calculados, além do consumo de energia, as emissões de CO2 resultantes desse consumo. O índice médio de emissão de carbono por unidade de energia é de 44 Kg CO2/GJ, apresentando-se maior no edifício que utiliza gás para aquecimento de água. Quanto ao desempenho da envoltória, as medidas mais eficazes referem-se àquelas que modificam as superfícies verticais opacas, como a redução da absortância e a instalação de fachada ventilada. Tais medidas também foram as mais eficientes no ciclo de vida energético das edificações, com período de amortização similar à média encontrada nos demais trabalhos científicos. O telhado verde mostrou-se ineficiente do ponto de vista do consumo energético no ciclo de vida, devido à necessidade de manutenções periódicas.

Palavras-chave: Retrofit. Desempenho da envoltória. Avaliação do Ciclo de Vida Energético. Programa Brasileiro de Etiquetagem Edifica. Simulação.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910