Influência da adição de bentonita em misturas alternativas para a utilização em barreiras impermeabilizantes de aterros sanitários.

Nome: Ligia Abreu Martins
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 14/06/2017
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Patrício José Moreira Pires Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Jamilla Emi Sudo Lutif Teixeira Examinador Interno
Juliana Azoia Lukiantchuki Examinador Externo
Karla Maria Wingler Rebelo Coorientador
Patrício José Moreira Pires Orientador

Resumo: Uma das questões relevantes no comportamento geotécnico de aterros sanitários e industriais consiste na integridade e desempenho de barreiras impermeabilizantes ao longo da vida útil destes sistemas de contenção. Neste contexto, percebe-se que algumas questões acerca da permeabilidade, da resistência ao cisalhamento, do efeito da percolação de soluções e da integridade de barreiras impermeabilizantes já vêm sendo discutidas há algum tempo. Citam-se em nível nacional os trabalhos de Lukiantchuki (2007), Camargo (2012) e Morandini & Leite (2015). No entanto, devido a heterogeneidade do solo e a grande extensão do país estas questões ainda não foram solucionadas a contento no Brasil. Neste contexto, é relevante que diante de políticas ambientas cada vez mais severas, as indústrias têm adotado procedimentos visando uma maior remoção de elementos tóxicos de efluentes. A fim de evitar grandes impactos em caso de vazamentos da camada impermeabilizante, a zeólita, material adsortivo muito utilizado em barreiras reativas seria uma opção inovadora para utilização em aterros sanitários devido à sua alta CTC, removendo assim metais pesados do meio. Para tais análises, o projeto de pesquisa proposto pretende avaliar a influência da adição de bentonita para melhoramento de um solo tropical do Espírito Santo e de uma zeólita natural do tipo clinoptilolita com a finalidade de utilização em barreiras impermeabilizantes. Foram avaliadas tanto a permeabilidade quanto a resistência ao cisalhamento e expansão dos materiais no estado puro e das misturas alternativas em percentuais de 3%, 5%, 7% e 9% de bentonita. Os ensaios de condutividade hidráulica foram realizados em permeâmetros de parede flexível. A resistência ao cisalhamento foi avaliada por meio do ensaio de compressão simples com o solo compactado. Para uma melhor avaliação foram realizados ensaios de Índice de Suporte Califórnia – CBR e expansão confinada. Os resultados dos ensaios mostraram que a adição de bentonita reduziu consideravelmente a condutividade hidráulica tanto do solo local quanto da zeólita. Os resultados indicam que para todas as misturas alternativas a condutividade hidráulica apresentou valores adequados para a construção de barreiras impermeáveis. No quesito resistência à compressão simples todas as misturas de solo puro e apenas a mistura da zeólita com 3% de bentonita atingiram valores aceitáveis para o emprego em camadas compactadas de base de aterro. Quanto ao CBR ambos os materiais apresentaram valores elevados sendo que a zeólita pura e suas misturas superaram os valores do solo local.

Acesso ao documento

Transparência Pública
Acesso à informação

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910