Avaliação de desempenho e conforto térmico nos Módulos Antárticos Emergenciais

Nome: Wagner Gomes Martins
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 29/08/2016
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Cristina Engel de Alvarez Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Cristina Engel de Alvarez Orientador
Edna Aparecida Nico Rodrigues Coorientador
Eliana Zandonade Examinador Externo
João Luiz Calmon Nogueira da Gama Examinador Interno

Resumo: Os Módulos Antárticos Emergenciais – MAE, instalados na Península Keller na Antártica, desde 2013 têm servido à continuidade das atividades desenvolvidas no local após o incêndio de parte da Estação Antártica Comandante Ferraz em 2012. Tendo-se em vista que os MAE se situam em um local protegido e extremo, o objetivo do trabalho apresentado foi avaliar seu desempenho, com enfoque para o conforto térmico, considerando-se o bem-estar dos usuários, face às condições climáticas locais, e a necessidade de aquecimento do ambiente interno, que é realizado a partir da queima de combustível fóssil. Seguindo-se os procedimentos relativos à metodologia de Avaliação Pós-Ocupação, através da aplicação de questionários e da realização de medições de temperatura e umidade, com o tratamento dos dados coletados e análise dos resultados, foram identificados problemas relativos à estanqueidade, à distribuição da temperatura interna, e ao comportamento em uso. Dentre os principais resultados, verificou-se que não houve correlação entre a temperatura externa e a interna, sendo possível inferir que a envoltória mantém o ambiente interno bem isolado, apesar dos problemas de vedação, e/ou que o sistema de aquecimento é capaz de compensar as diferenças de temperatura. Acredita-se que as quedas de temperatura observadas podem ter sido provocadas pela abertura de portas, principalmente no período de verão, em que há mais usuários nos MAE. Os resultados obtidos através do cálculo do índice PMV, de conforto térmico, juntamente com os levantamentos realizados, mostraram que a ocorrência de frio é agravada pelo uso de vestimentas com baixo coeficiente de isolamento. De forma geral, foi possível concluir que, apesar dos problemas identificados, decorrentes principalmente do comportamento em uso, é provável que com pequenos ajustes seja possível atingir um alto desempenho nos MAE, proporcionando o necessário conforto aos usuários.

Acesso ao documento

Transparência Pública
Acesso à informação

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910