AVALIAÇÃO DO CICLO DE VIDA “CRADLE-TO-GATE” DE MISTURAS DE CONCRETOS AUTOADENSÁVEIS COM INCORPORAÇÃO DE RESÍDUOS E SUBPRODUTOS INDUSTRIAIS

Nome: Felipe Zanellato Coelho
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 05/09/2016
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
João Luiz Calmon Nogueira da Gama Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Geilma Lima Vieira Examinador Interno
Georgia Serafim Araújo Examinador Externo
João Luiz Calmon Nogueira da Gama Orientador

Resumo: A incorporação de resíduos e subprodutos industriais nos traços de concreto é uma solução para minimizar os impactos causados pelos processos produtivos dos materiais que o compõem. Vários estudos avaliam o desempenho técnico da incorporação de resíduos e subprodutos industriais nos traços de concreto, porém para decidir qual mistura apresenta a menor carga ambiental é necessário fazer uma análise completa de todo seu ciclo de vida. A avaliação do ciclo de vida (ACV) é uma metodologia para avaliar os potenciais impactos ambientais e os recursos utilizados ao longo do ciclo de vida de um produto. Portanto, o objetivo desta dissertação consiste no desenvolvimento de uma ACV comparativa para analisar 162 traços de Concretos Autoadensáveis (CAA) com altas proporções de incorporação de resíduos e subprodutos industriais em um cenário na cidade de Berkeley, Califórnia-EUA. A pesquisa aponta quantitativamente quais os traços que apresentam o melhor desempenho ambiental no cenário proposto. Os traços foram extraídos de 15 artigos científicos que comprovaram a viabilidade técnica dos concretos analisados. Os CAA's estão sendo cada vez mais utilizados para a construção de elementos de concreto complexos altamente reforçados e para estruturas de concreto maciço, como barragens e fundação que necessitam de misturas com maior fluidez. Para avaliar o desempenho ambiental dos CAA's os traços foram separados em 3 classes de resistência e analisados com o Software SIMAPRO, método de avaliação de impacto IMPACT 2002+, banco de dados ECOINVENT e unidade funcional de 1 m3. A ACV realizada desconsiderando as fases de pós-fabricação, ou seja, o limite do sistema é "cradle-to-gate". Os resultados mostram que as categorias de danos mais afetadas foram a Saúde Humana, Mudanças climáticas e os Recursos Energéticos por consequência das altas emissões de partículas respiratórias inorgânicas, emissão de GEE's e o consumo de energia não renovável respectivamente. O traço de menor impacto por categoria apresenta índices de emissões de partículas respiratórias inorgânicas, emissão de GEE's e o consumo de energia não renovável menor que o traço de maior impacto nas proporções de 57%, 65%, 55% respectivamente na classe 1A, 55%, 78%, 55% respectivamente na classe 1B e 49%, 78%, 51% respectivamente na classe 2. Em resumo, os ecoconcretos apresentam ganhos ambientais significativos que podem ajudar a minimizar o aquecimento global, reduzir o esgotamento dos recursos naturais e promover a construção verde.

Acesso ao documento

Transparência Pública
Acesso à informação

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910