DURABILIDADE DE CONCRETOS PRODUZIDOS COM ADIÇÃO DE RESÍDUOS PROVENIENTES DE ROCHAS ORNAMENTAIS FRENTE À AÇÃO DE ÍONS CLORETO,

Nome: Yustane Paula Dietrich
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 16/04/2015
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Geilma Lima Vieira Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Geilma Lima Vieira Orientador
Georgia Serafim Araújo Examinador Externo
João Luiz Calmon Nogueira da Gama Examinador Interno

Resumo: Os cloretos são considerados responsáveis por iniciar o processo de corrosão do aço pelo rompimento da sua camada passiva e aceleração das reações eletroquímicas de oxirredução. Para dificultar a penetração desses íons em estruturas de concreto localizadas próximas do mar deve-se investir na qualidade do concreto. O Resíduo do Beneficiamento de Rochas Ornamentais (RBRO) é produzido no Espírito Santo em larga escala e possui potencial para ser utilizado como adição mineral em matrizes cimentícias. Neste trabalho é avaliado o processo de corrosão das armaduras induzido pela ação de íons cloreto, sobre concretos produzidos com três níveis de relação água/cimento - 0,45; 0,55 e 0,65 e quatro níveis de adição de RBRO - 0%, 5%, 10% e 15%- em relação à massa de cimento. Foram avaliados os índices de consistência, massas específicas dos concretos no estado fresco; resistência à compressão axial, absorção de água por imersão e fervura e absorção capilar em 216 corpos de prova cilíndricos de concreto. 36 primas de concreto, com 72 corpos e prova de aço CA-50, foram submetidos a ciclos de indução e aceleração da corrosão. O ciclo compreendeu imersão parcial em solução com 5% de NaCl, por 48horas, e secagem em estufa ventilada, a 50ºC, por 5 dias. O potencial de corrosão das armaduras foi medido após imersão e após secagem dos corpos de prova, até a despassivação das armaduras. Por último, foi feito o ensaio colorimétrico por aspersão de do indicador AgNO3 a 0,1 mol/L para exame da altura de penetração dos íons Cl-. Utilizou-se o software Statgraphics® para a análise de regressão linear múltipla e Anova das variáveis dependentes estudadas. A utilização RBRO diminuiu a trabalhabilidade dos concretos e a sua massa específica no estado fresco, atendeu aos requisitos de resistência à compressão axial. Não se mostrou clara a contribuição da adição nos resultados de potencial de corrosão, entretanto, o tempo de indução da corrosão aumentou com o aumento do percentual de adição. O teor de 5% de RBRO mostrou ser o mais vantajoso do ponto de vista da durabilidade mostrando a menor contaminação de CL- no ensaio colorimétrico.

Acesso ao documento

Transparência Pública
Acesso à informação

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910