Tratamento Térmico da Lama de Beneficiamento de Rochas Ornamentais. Aplicação Como Pozolana em Matrizes Cimentícias

Nome: Juliana Gavini Uliana
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 25/02/2014
Orientador:

Nome Papelordem decrescente
João Luiz Calmon Nogueira da Gama Orientador

Banca:

Nome Papelordem decrescente
Evaristo Nunes Filho Coorientador
Geilma Lima Vieira Coorientador
Aldo Giuntini de Magalhaes Examinador Externo
Fernando Avancini Tristão Examinador Interno
João Luiz Calmon Nogueira da Gama Orientador

Resumo: Objetivando o desenvolvimento sustentável na construção civil e em diversos setores da indústria, são inúmeras as pesquisas fundamentadas nas possibilidades de utilização de subprodutos industriais aplicados em materiais de construção.
O Brasil é um importante produtor de rochas ornamentais e este processo gera um volume significativo de resíduo, principalmente na etapa do beneficiamento, com a transformação dos blocos em chapas. O desdobramento pode ocorrer em teares tradicionais, que usam lâminas metálicas regadas por uma polpa abrasiva composta de água, cal, pó de rocha e granalha de aço ou também em teares multifios com fios diamantados que cortam os blocos apenas com aspersão de água. A lama gerada neste desdobramento é separada em resíduo com granalha e sem granalha, sendo somado a este último o resíduo de polimento que são então destinados a aterros, demandando métodos de reciclagem dado seu impacto ambiental.
Esta pesquisa trata da aplicação de tratamento térmico à lama do beneficiamento de rochas ornamentais sob sua condição com granalha (LBRO G) e sem granalha (LBRO D), objetivando a produção de material pozolânico, como mais uma alternativa para reinserção deste resíduo na cadeia produtiva. Para isto, foram caracterizados e submetidos aos testes para identificação dos métodos necessários para obtenção de material vítreo, realizado por tratamento térmico e moagem.
Estes materiais produzidos foram também caracterizados e o seu comportamento mecânico foi avaliado em argamassas com substituição de material cimentício em teores de 5, 10, 15 e 20% para verificação da atividade pozolânica, comparando também com os resultados para argamassas produzidas com os resíduos sem tratamento térmico.
Pode-se afirmar que os valores encontrados de resistência à compressão axial foram promissores, tendo sido possível verificar que após tratamento térmico, o resíduo tratado se apresentou como um material com características de pozolanicidade.

Acesso ao documento

Transparência Pública
Acesso à informação

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910