AGRESSIVIDADE AMBIENTAL EM ZONA DE ATMOSFERA MARINHA: ESTUDO DA DEPOSIÇÃO DE CLORETOS E SUA CONCENTRAÇÃO EM CONCRETOS NA REGIÃO SUDESTE

Nome: Jose Carlos Borba Junior
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 25/03/2011

Resumo: Estruturas de concreto construídas próximas ao mar sofrem com a agressividade ambiental causada pelo aerossol marinho. O aerossol marinho é uma névoa de água salgada formada pela quebra de ondas do mar e pela fricção do vento na superfície da água. A quantidade de sal presente no aerossol é maior quanto mais fortes forem os ventos da região e quanto menor for a distância da costa. Esse aerossol é transportado pelo vento em direção ao continente, deposit ando-se sobre a superfície das estruturas de concreto. Os cloretos precipitados penetram no concreto por absorção e difusão iônica, podem causar a corrosão das armaduras caso sua concentração seja elevada. Esse trabalho visa medir a concentração de clore tos no aerossol marinho e correlacioná-la com a concentração de cloretos no concreto. Para tal, foram selecionados cinco pontos de exposição natural para medição da névoa salina dos quais três foram utilizados também para exposição do concreto à agressividade ambiental. Os pontos estão situados na região metropolitana da grande Vitória a 10, 65, 120, 240 e 520 metros distância ao mar, sendo os três mais distantes usados para a exposição dos concretos. A medição de cloretos no aerossol marinho foi feita através do ensaio da vela úmida. Medidas climatológicas também foram obtidas para caracterizar a região de estudo. Os concretos estudados foram moldados em corpos de prova prismáticos de concreto com diferentes traços, variando a relação água/cimento: 0,65, 0,55 e 0,45. Após 6 e 10 meses, foram tiradas amostras do concreto para determinação do teor de cloretos. Os resultados indicam que uma fraca relação entre a deposição de cloretos na atmosfera e a concentração de cloretos no concreto para a região de estudo . A deposição de cloretos, por sua vez, apresentou baixa correlação com o regime dos ventos. De toda forma, é possível estabelecer um comportamento da agressividade ambiental de acordo com as determinações obtidas.

Palavras-chave: Deposição de cloretos, zona de atmosfera marinha, aerossol marinho, climatologia, regime de ventos, durabilidade de estruturas, concreto, concentração superficial de cloretos, concentração de cloretos em concreto.

Acesso ao documento

Transparência Pública
Acesso à informação

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910