Summary: O mercado de engenharia estrutural vislumbra solucionar problemas de infraestrutura da sociedade, especialmente no desenvolvimento e manutenção de empreendimentos de caráter residencial. Nesse tocante, engenheiros e empresas atuantes neste mercado devem apresentar soluções que atendam às exigências crescentes no que tange ao controle do tempo e custo de empreendimentos, e às questões ambientais como sustentabilidade e geração de resíduos. Observa-se crescimento do uso de sistemas mistos de aço e concreto para atendimento de tais exigências, devido à diversas vantagens, em potencial as oferecidas pelas lajes mistas, tanto com redução de tempo e gastos, quanto no ganho de eficiência estrutural.
Seguindo a tendência de utilização de elementos estruturais mistos, a ArcelorMittal desenvolveu um sistema para pisos que une características de lajes treliçadas e lajes mistas nervuradas, chamado Trelifácil®. Nesse sistema, as bases das vigotas tradicionais em concreto armado são compostas por um perfil ‘‘U’’ de aço acoplado à uma treliça de armadura, travada no perfil por meio de espaçadores. Devido a chegada recente do produto ao mercado, o mesmo carece de estudos aprofundados de seu comportamento mecânico, nas vertentes analítica, numérica e experimental.
O objetivo geral da pesquisa é suprir tal carência, por meio da caracterização experimental do comportamento estrutural das lajes Trelifácil®. O estudo envolve a determinação da resistência a momento fletor do perfil e do sistema Trelifácil® como um todo. Para tanto, serão executadas duas baterias de ensaio à flexão. A primeira contempla o teste de seis protótipos do perfil “U”, três deles com a treliça de armadura, de maneira a simular o sistema durante a construção, quando somente o perfil resiste as solicitações. A segunda bateria de testes submeterá seis protótipos de laje à ensaios de flexão, sendo três protótipos de lajes Trelifácil® e os demais em lajes de vigotas treliçadas, sem o perfil “U”. Espera-se que os modelos ensaiados sem perfil apresentem momento resistente menor, juntamente com deslocamentos maiores que o sistema Trelifácil®. É feita a previsão de que a diferença entre os momentos últimos dos dois sistemas de laje, com e sem fôrma, permita avaliar a contribuição do perfil para resistência das lajes Trelifácil®. Quanto à fase de construção, os ensaios no perfil permitirão obter seu momento fletor resistente com e sem a treliça de armadura, possibilitando avaliar a contribuição da treliça na resistência e na rigidez antes da cura do concreto. Espera-se definir também, uma configuração ótima de espaçamento para escoras no perfil durante a fase de construção.

Starting date: 2018-07-02
Deadline (months): 36

Participants:

Rolesort descending Name
Collaborator * Juliana da Cruz Vianna Pires
Coordinator * Adenilcia Fernanda Grobério Calenzani
Student Master * André Vasconcelos Soares Gomes
Student Master * Daniel Carvalho de Moura Candido
Transparência Pública
Acesso à informação

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910